domingo, dezembro 16, 2007

trilho dormente

... o carreiro segue para sul... são para aí umas trintas (formigas, das mais pequenas, pretas)... seguem ocultas por um trilho de lã (preta)... adiante a linha do horizonte clareia o cenário: cinza, claro, nevoeiro (vapores quentes) e montanhas de louça, que só as mais fortes conseguem trepar... a da frente, a mais nova, "alucina" chega à fronteira... sente um cheiro forte, detergente, de ontem... salta para o terreno onde, agora, é visível... inspira, forte... as outras saltam agora, a medo... uma inspiração colectiva... sentem o corpo adormecer, a calma invade-as... repetem o trilho todos os domingos de manhã...

2 comentários:

Ana disse...

curtas metragens e manhãs de domingo :)...este fim de semana descobri a fábrica de prata ...alucinei .
ainda estou dormente.um belo sitio para as tuas paisagens sonoras ;)

merdinhas disse...

The Junky's Christmas