segunda-feira, dezembro 22, 2008

Dizem que a paixão o conheceu


dizem que a paixão o conheceu

mas hoje vive escondido nuns óculos escuros

senta-se no estremecer da noite enumera

o que lhe sobejou do adolescente rosto

turvo pela ligeira náusea da velhice




conhece a solidão de quem permanece acordado


quase sempre estendido ao lado do sono


pressente o suave esvoaçar da idade


ergue-se para o espelho


que lhe devolve um sorriso tamanho do medo




dizem que vive na transparência do sonho


à beira-mar envelheceu vagarosamente


sem que nenhuma ternura nenhuma alegria


nenhum ofício cantante


o tenha convencido a permanecer entre os vivos




al berto

2 comentários:

corpo visível disse...

.
conhece a solidão de quem permanece acordado
quase sempre estendido ao lado do sono
.
é precioso isto. andas em boa companhia tu.
.

Portugal Rebelde disse...

Foi com alguma supresa que verifiquei que o "Portugal Rebelde", deixou de fazer parte dos Blogs que o Jorge Nunes gosta...
Um grande Abraço e um "grande" 2009!
António Manuel